Logo Alfaro
Fale com o Alfaro
Promovendo cidadania com informação
banner Alfarobanner Alfarobanner Alfaro

ESTÍMULOS DIFERENCIADOS

terça-feira, 21 de Janeiro de 2014 | 11:23

Um dos sinônimos de verão é praia. Passamos o ano fazendo planejamentos para que o todo saia “perfeito” na temporada. Num dia excepcional, sol quente, céu claro, mar calmo, água cristalina ou quase, acontecia um jogo de futebol na beira da praia. Opostamente aos três jogadores,estavam as respectivas namoradas, sentadas, tomando banho de sol, chimarrão e conversando. Num determinado momento, passam ao lado, duas garotas belíssimas que caminhavam com roupas de banho minúsculas. Como num passe de mágica, a brincadeira é interrompida e ocorre aquela “olhadinha básica” dos rapazes. Não obstante,a percepção atenta de uma enciumada, complicou... Vejam bem que eu disse que o dia “estava” excepcional. Cadeiras voaram, guarda-sol, óculos quebrados no tumulto eum “barraco gerador de uma nuvem preta”foi formado imediatamente.

Com frequência, ouço na clínica relatos de mulheres que simplesmente observam os seus companheiros olhando para outras, desencadeando assim, crises de ciúme e, em certos casos, sentimentos de inferioridade. Revistas, filmes, comerciais, fotos no computador,etc., também são verdadeiras arestas nas engrenagens dos relacionamentos. A essência é sempre idêntica: a não aceitação do referido comportamento. Procuro, dentro do possível, fazer com que haja um entendimento do cérebro masculino neste sentido. Na verdade, não há nenhum interruptor que desligue algo que é absolutamente natural. Por parte de alguns, a discrição é maior e, portanto,relativamente “tolerável”. Outros, não conseguem o referido controle e deixam as coisas às claras. Da mesmamaneiraque costumo assinalar a “normalidade”, coloco que são funcionamentos diferentes. Enquanto os homens são estimulados pelo visual, as mulheres têm, como gatilho, a audição. Muitos se preocupam somente com a aparência na hora de uma conquista, esquecendo ou deixando de lado o que é importantíssimo: saber falar. A configuração inicial de alguém até é notada. A pessoa pode estar revestida de ouro, mas, depois de um tempo, tem que trabalhar os ouvidos femininos com maestria. Toda mulher, invariavelmente, tem segredos que devem ser desvendados paulatinamente. As palavras gentis, inteligentes, as ações indicadas no instante da conquista, são imprescindíveis. Estimulam. Quando falo em conquista, logicamente, acrescento a manutenção do vínculo. A não observância dos requisitos ou os mínimos detalhes, tudo indica, gera a impossibilidade da continuidade.

De nada adianta, não haver uma aceitação das supracitadas dinâmicas. Cada um, dependendo do seu gênero, traz consigo códigos inatos. Destarte, impossíveis de serem desfeitos. O desejável é ambos os sexos saberem lidar com as diferenças de modo adequado. É, infinitamente, mais produtivo. Do contrário, o “departamento das incompreensões” está fadado a um desgaste intenso e natural.


Escrito por Dr. Ricardo Carvalho

Comentários (0) | Indicar um amigo


^ topo

QUEM SOU

Alberto Amaral Alfaro

natural de Rio Grande – RS, advogado, empresário, corretor de imóveis, radialista e blogueiro.

ENTREVISTAS

O QUE EU LEIO

ÚLTIMAS 10 POSTAGENS


Ouça a Rádio Cultura Riograndina

ARQUIVOS

Alfaro Negócios Imobiliários
WD House

Blog do @lfaro - Todos os direitos reservados