Logo Alfaro
Fale com o Alfaro
Promovendo cidadania com informação
banner Alfarobanner Alfarobanner Alfaro

VONTADE DE VENCER

quinta-feira, 13 de Fevereiro de 2014 | 09:25

É interessantíssimo quando observamos crianças brincando, principalmente, jogando. A vontade de vencer, indubitavelmente, é de ambas as partes. Porém, o detalhe, que normalmente determina a vitória, está diretamente ligado à personalidade em formação. Relacionado a isto, gosto muito de uma analogia que me foi colocada há anos atrás. Vamos imaginar dois cavalos numa disputa que saem de uma linha e cruzam a chegada, teoricamente, ao mesmo instante. Quando os olhos humanos não conseguem definir o vencedor, fotos sucessivas são tiradas. Simplesmente, um focinho, pode ser o grande diferencial da conquista ou derrota.

À medida que o tempo transcorre, não raro, fazemos análises do "sucesso" dos outros. Portanto, se tivermos elementos suficientes, o estudo longitudinal e os respectivos resultados, são visualizados em segundos. Conhecidos ou não, passam por um crivo que, de alguma maneira, serve para compararmos êxitos. Digamos que são "referenciais naturais". Sendo assim, constatamos o óbvio. A infância e a adolescência, normalmente, são decisivos neste sentido. Excluindo possibilidades externas, como sorte, por exemplo, vencer na vida na "totalidade", obedece a padrões peculiares que já estão enraizados profundamente. Desta forma, verificamos que uma condição social privilegiada pode não ser determinante, embora reconheçamos seu altíssimo peso. Muitas vezes, situações favoráveis não geram ou produzem os resultados esperados. O supracitado "detalhe", no fundo, faz uma enorme diferença. Frequentemente, questionamos como o "pequeno ponto tão poderoso" é formado. Genética? Ambiente? Necessidades ou privações sofridas pelos sujeitos? Aspectos desencadeadores desconhecidos? Todos esses?

Quando coloco "vencer", busco alcançar um plano mais profundo do que normalmente estamos acostumados a pensar. Talvez possamos aplicar um sinônimo um tanto quanto diferente: satisfação. Sem dúvida, não é algo que está relacionado direta ou unicamente à questão financeira. Emana da alma. É extremamente prazeroso quando lutamos e alcançamos um objetivo que nos dá uma sensação de plenitude ou realização pessoal.

A ausência do desejo de vencer, em diversos casos, está associada intimamente a fatores emocionais. Incongruências entre aquilo que o indivíduo é e o que deseja ser, somado às influências negativas do meio, produzem apatia, indiferença ou estagnação. Partimos do princípio de que se houver um direcionamento ou congruência das vontades íntimas, incluindo doses homeopáticas com a realidade circundante, a motivação prevalecerá e será mantida.

Aos pais, até um limite, por via de regra, cabe a delicada missão de favorecer um "universo" que viabilize o referido encontro. Independentemente desses, da nossa parte, torna-se imperativo escolhas, ações condizentes e geradoras do tão sonhado sentimento de completude. A consciência precisa estar alerta, acreditar e apostar que, mudanças, requererem esforços significativos. Viabilidade, e, consequentemente, sintonias...


Escrito por Dr. Ricardo Carvalho

Comentários (0) | Indicar um amigo


^ topo

QUEM SOU

Alberto Amaral Alfaro

natural de Rio Grande – RS, advogado, empresário, corretor de imóveis, radialista e blogueiro.

ENTREVISTAS

O QUE EU LEIO

ÚLTIMAS 10 POSTAGENS


Ouça a Rádio Cultura Riograndina

ARQUIVOS

Alfaro Negócios Imobiliários
WD House

Blog do @lfaro - Todos os direitos reservados