Logo Alfaro
Fale com o Alfaro
Promovendo cidadania com informação
banner Alfarobanner Alfarobanner Alfaro

Colunas

Colunista
Voltar

Prof. Nerino Dionello Piotto
Articulista Econômico - Empresário ramo imobiliário - Aposentado do Banco Central do Brasil.


Leia outras colunas



SHOPPINGS EM RIO GRANDE – FUNCIONAMENTO DAS LOJAS AOS DOMINGOS

segunda-feira, 30 de Junho de 2014 | 16:29

Como sabem, moro em Rio Grande/Cassino e no Rio de Janeiro. E viajo, com minha mulher, Anita, de carro, pelo Brasil afora e ao exterior com muita freqüência. E temos o hábito de – notadamente aos domingos, freqüentar Shoppings.

Um casal, afilhado de casamento ( ele, oficial graduado da marinha e sua mulher ) foram morar em Rio grande. Ela não entendia o fato de, calor excessivo no verão e quase impossibilidade de se ir à praia aos domingos ( excesso de demanda/caos ), RG não possuir um bom Shopping para recreação e compras, notadamente aos domingos.

Pois é. Alguns empresários, com visão de futuro, vislumbraram o potencial da cidade, notadamente com a chegada do Pólo Naval.

Todos sabemos, o Shopping é um local privilegiado de lazer e compras, com área para estacionamento seguro e funcionamento diferenciado do comércio em geral, o que facilita – em muito – a vida de quem trabalha toda a semana e só dispõe do domingo para seu lazer e compras. Ou mesmo de muitos, como minha mulher e eu, que temos liberdade de horários em razão de nossas atividades, ir às compras no domingo é muito mais amigável – em razão do trânsito e outras - do que durante a semana.

Em todo o mundo, com exceções raríssimas ( caso de Rio Grande ), as lojas do interior dos Shoppings estão proibidas – exceto alimentação - de abrir aos domingos.

Os Sindicatos, em tese, existem para defender os empregos de seus filiados e também de abusos e ainda para pleitear melhores condições de remuneração e trabalho.

Em Rio Grande, tudo indica, alguns sindicalistas, com visão prejudicada sei lá o porquê, só enxergam uma banda. Não se dão conta de que, no caso papareia, sem um histórico de freqüência/vendas aos domingos é impossível – sob pena de prejuízos irrecuperáveis dos comerciantes – oferecer melhores condições aos empregados. Desconhecem ou desdenham as regras mais básicas de negociação. Exigir salários e benefícios além da possibilidade das receitas/faturamento é um contra senso incompreensível!

Hoje empregados e empresários são parceiros! Um não vive sem o outro! Bobagem achar que pode haver exploração. O que pode ocorrer, em RG, serão perdas de postos de trabalho ( demissões ). Mas... os dos sindicalistas estarão garantidos!

Nossa cidade, que já teve um projeto de construção de apartamentos à beira da praia do Cassino ( como ocorre no Brasil/mundo todo ) abortado pela Prefeitura, e justificado por Alberto Alfaro, em belo artigo, como uma recaída de nosso “complexo de vira lata”, se vê, agora, com este episódio, mais uma vez refém da “doença’. Devemos nos lembrar das agruras suportadas pela economia da cidade por longo tempo por comportamentos e atitudes auto destrutivos como esses.

Pense/reflita com carinho sobre isso! Economista


Escrito por Nerino Dionello Piotto

Comentários (0) | Indicar um amigo


QUEM SOU

Alberto Amaral Alfaro

natural de Rio Grande – RS, advogado, empresário, corretor de imóveis, radialista e blogueiro.

ENTREVISTAS

O QUE EU LEIO

ÚLTIMAS 10 POSTAGENS


Ouça a Rádio Cultura Riograndina

ARQUIVOS

Alfaro Negócios Imobiliários
WD House

Blog do @lfaro - Todos os direitos reservados